1 de agosto de 2010

AREIA MAIS SUJA DO QUE A ÁGUA

Levantamento da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) realizado no ano passado classificou como "reprovada" a areia de todas as oito praias da Baixada Santista e do litoral norte do Estado avaliadas. Segundo o estudo, a contaminação tem origem na água do mar, nos rios e nos córregos que desembocam na orla, no lixo e na chuva que lava as ruas e chega às praias.

A Cetesb escolheu para o estudo praias muito frequentadas, como Pitangueiras, no Guarujá (86 km de SP), muito sujas, como Gonzaguinha, em São Vicente (65 km de SP), e também locais mais longe da cidade, caso da praia do Sino, em Ilhabela (198 km de SP).

Em todos os testes a areia tinha maior concentração de micro-organismos nocivos que a água. O resultado colhido agora repete estudos realizados 11 anos atrás, em pontos diferentes.

Segundo a Cetesb, não há estudos epidemiológicos que façam uma relação entre o grau de contaminação da areia e doenças. Mas a pesquisa aponta que é mais fácil entrar em contato com bactérias na areia do que no mar.

Apesar disso, a bióloga Claudia Lamparelli, do setor de águas litorâneas da Cetesb, afirma que, no mar, há mais chance de contaminação, ao menos para os adultos. "Mas com crianças, principalmente, é preciso ter mais cuidado", afirma.

No estudo foi avaliada a concentração de coliformes termotolerantes, uma bactéria proveniente de fezes, a "Escherichia coli", e os enterococos. A bióloga recomenda tomar banho logo depois de sair da praia, mesmo que não tenha entrado no mar.

Ou então ir "bem protegido" à praia.


Um comentário:

  1. Devemos cuidar,preservar as prais do brasil, principalmente de SP,Não acho serto jogar os esgotos nas praias nem lixo,cada um podia ir com uma sacolinha e recolhe seu lixo.Deus nos deu estas paisagens naturais mas Muitos ser humano não sabem da valor.Ass: natalie_htadoblack@hotmail.com

    ResponderExcluir