19 de setembro de 2010

ACELERA CACÁ!!!

Qual a velocidade máxima que um Stock Car brasileiro pode alcançar? O carioca Cacá Bueno e a equipe RBR agora têm a resposta na ponta de língua: 345,9 km/h. Num projeto pioneiro realizado no mês de agosto, eles estabeleceram o novo recorde da principal categoria do automobilismo nacional no deserto de sal de Bonneville, na cidade de Wendover, em Utah (EUA).

Mas, para tornar-se o piloto mais veloz dos 31 anos da Stock Car, Cacá tinha que superar a marca do paulista Fábio Sotto Mayor, que alcançou 303 km/h na Rodovia Rio-Santos, em 1991, com um Opala seis cilindros. Apesar das dificuldades de guiar no sal e da altitude de 2.000m acima do nível do mar em Bonneville, o tricampeão brasileiro foi além das expectavivas para ultrapassar a barreira dos 300km/h com o seu V-8.

Sobre o fundo de um extinto lago de água salgada, as pistas de Bonneville Salt Flats recebem desde 1949 pilotos e carros de todos os cantos do planeta num dos maiores eventos de quebra recorde do mundo: a Semana da Velocidade. Mas foi a primeira vez que uma equipe e um piloto brasileiros tiveram a oportunidade de correr no deserto de sal.

A aventura em Bonneville começou no mesmo domingo em que Cacá conquistou a etapa de Salvador da Stock Car 2010. No dia 15 de agosto, o piloto deixou a Bahia rumo à capital do estado de Utah, Salt Lak City. De lá foram mais duas horas de carro até a pequena cidade de Wendover, que fica na divisa com o estado de Nevada.

As tentativas para a quebra do recorde começaram apenas no dia 24, após o fim da Semana da Velocidade. Com a pista de 13 km de distância livre para acelerar, Cacá superou a marca de Sotto Mayor logo na primeira chance. Para o novo recorde ser validado, o brasileiro teve que fazer o trajeto de ida e volta. O recorde oficial é formado pela média das maiores velocidades alcançadas nas duas passagens.

- É engraçado porque o sal é muito diferente do asfalto. Na quinta marcha - um Stock Car tem seis - eu não pude acelerar até o fundo. Ele foi balançando até os 200 km/h. Quando chegou a 250 km/h, ele começou a balançar um pouco menos. Quanto mais velocidade, mais pressão para o chão ele tem. Então a partir dos 280 ele se firmou. A pista é larga e você vai de um lado para o outro controlando o carro. Nos limites dos nossos autódromos no Brasil, que têm no máximo uma reta de um quilômetro, nós podemos alcançar 240, 250 km/h. E logo na nossa estreia já conseguimos 319 km/h. Mas nós vamos para mais - previu Cacá.

O piloto da RBR tinha razão: o melhor ainda estava por vir. Na segunta tentativa, uma média de 336 km/h garantiu ao brasileiro uma vaga no seleto Clube das 200 Milhas, que reúne os sortudos que ultrapassaram os 320 km/h em Bonneville. Para fechar o dia, o tricampeão fez um tiro frustrado sem a asa traseira.

- Foi divertido, mais tomei dois sustos no caminho. Não tem como andar sem asa. O chão é muito escorregadio e fica sem pressão nenhuma. Quase que rodei a 270 km/h. Foi meio perigoso. Na volta a gente colocou até um pouco mais de asa do que na primeira vez e conseguimos 338 km/h. Como o que vale é a média das duas passagens, nós vamos voltar amanhã para superar os 340 - garantiu o brasileiro.

Dito e feito. Logo na primeira tentativa na quarta-feira Cacá conseguiu 345 km/h, mesmo sendo atrapalhado pela quebra do extrator de ar, peça que auxilia na aerodinâmica aumentando a pressão do carro para o chão. A peça foi arrancada pelo ar, sendo arremessada a mais de dez metros de altura.

Nada que preocupasse o tricampeão brasileiro. Para confirmar a maior velocidade já registrada por um Stock Car brasileiro, o carioca repetiu a dose no tiro seguinte e estabeleceu a média tão sonhada:

- Dedico esse recorde para todo mundo que adora velocidade. Não só para os fãs de Stock Car, mas pra todos que gostam de automobilismo. Primeira vez de uma equipe brasileira no deserto de sal, 345 km/h. Ficou a vontade de voltar no ano que vem para bater isso daí.

CACÁ BUENO - O MAIS VELOZ PILOTO DA STOCK CAR

Nenhum comentário:

Postar um comentário