9 de setembro de 2010

MORRE O CANGACEIRO MORENO

Na última segunda-feira (6), morreu Moreno, um dos últimos integrantes do grupo de Lampião.

Grupo de Lampião
Com 100 anos e debilitado, o ex-cangaceiro José Antônio Souto, conhecido como Moreno, morava em Belo Horizonte. Souto foi enterrado no Cemitério da Saudade, região leste da capital mineira, com muitos fogos de artifício. Um filme que conta a vida dele nos sertões nordestinos deve ser lançado em 2011.

José Antônio Souto, o Moreno
De acordo com o filho Murilo Antônio Souto, de 63 anos, o pai estava acamado e, apesar de consciente, estava fraco e se alimentava mal. Moreno, que era casado com Jovina Maria da Conceição Souto, a Durvinha e deixou seis filhos.

Moreno e Durvinha
A vida do ex-cangaceiro Moreno será retratada no longa-metragem documentário “Os Últimos Cangaceiros”, que deve ser lançado em novembro deste ano em festivais de circuitos nacional e internacional. Aqui no Brasil, a estreia está prevista para o fim do primeiro semestre de 2011.

No filme algumas histórias são destacadas como a sobrevivência de Moreno no ataque que vitimou Lampião e dos policiais, conhecidos como “Macacos”, que faziam as implacáveis perseguições contra os cangaceiros. Moreno era temido pelos policiais além de um ótimo atirador, e muito arisco. Matou mais de 20 pessoas e nunca sofreu um tiro.

Após a morte de Virgulino Ferreira, o Lampião, em 1938, Moreno ainda perambulou por dois anos na região entre Pernambuco e Alagoas.

Do grupo reunido por Lampião no início do século XX, quatro ainda estão vivos e todos já têm mais de 90 anos. Manuel Dantas Loyola, o Candeeiro, hoje mora em Buique (PE) e José Alves de Matos, o 25, mora em Maceió. E ainda tem mais duas mulheres cangaceiras: Dulce, em Campinas (SP), e Aristeia Soares de Lima, que mora em Paulo Afonso (BA).

Nenhum comentário:

Postar um comentário