19 de janeiro de 2011

VIA DUTRA - 60 ANOS

Há 60 anos, no dia 19 de janeiro de 1951, o general Eurico Gaspar Dutra, Presidente da República, descerrou a placa de inauguração da BR-2, a Nova Rodovia Rio-São Paulo, em solenidade realizada na altura de Lavrinhas (SP).

Construída com as mais modernas técnicas de engenharia da época e com equipamentos especialmente importados para isso, a Rio-São Paulo de 1951 permitiu reduzir a distância rodoviária entre as duas capitais em 111 quilômetros, comparando-se o novo caminho com o traçado da velha rodovia, inaugurada em 1928.

A maior parte dessa redução foi conseguida com a superação obstáculos naturais, basicamente nos banhados da Baixada Fluminense e na área rochosa da garganta de Viúva Graça, na região de serras entre Piraí e Cachoeira Paulista e no segmento da Várzea de Jacareí. Apenas 8 quilômetros do antigo traçado foram aproveitados, justamente o segmento encravado na Serra das Araras, depois de alargamentos e correções de pista.

Além disso, sua concepção avançada permitiu a construção de aclives e declives menos acentuados e curvas mais suaves. Tudo isso representou significativa uma queda no tempo de viagem, de 12 horas, em 1948, para 6 horas.

Os números que envolveram a construção espantam ainda hoje, em um esforço de engenharia que envolveu 35 empreiteiras, milhares de trabalhadores e movimentação de toneladas dos mais diversos materiais.
  • 2.657.746 m2 de pavimentação
  • 1.300.000 sacos de cimento
  • 8.000 toneladas de asfalto
  • 20.000 toneladas de alcatrão
  • 15.000.000 m3 de movimento de terra
  • 300.000 m3 de cortes
  • 7.021 m de extensão em 115 pontes, viadutos e passagens
  • 19.086 m com 315 bueiros
  • 30 milhões de m2 de faixa de domínio

Tempos de viagem ao longo do tempo

1908 – 876 horas foi o tempo gasto pelo Conde Lesdain para percorrer a distãncia entre Rio e São Paulo através de estradas de boiadeiros e antigas picadas a bordo de um veículo Brassier.
1925 – 144 horas foi quanto demorou a Bandeira Automobilística da Associação de Estradas de Rodagem para seguir de São Paulo ao Rio já em estradas de melhor qualidade.
1928 – 10 horas – Após a inauguração da antiga Rio-São Paulo, os tempos de viagem foram sensivelmente reduzidos.
1948 – 12 horas – Apesar da modernização dos veículos, a deterioração da estrada e o aumento no transporte rodoviário de cargas aumentaram o tempo de viagem.
1951 – 6 horas – Em pistas adequadas para o fluxo e a qualidade dos veículos da época, era possível desenvolver velocidade média de 70 km/h.

Em 1º de março de 1996 a CCR NovaDutra assume a administração da Via Dutra. A estrada apresentava um cenário de deteriorização. Suas pistas estavam esburacadas, a sinalização era precária, o mato alto tomava conta do canteiro central, as defensas metálicas estavam retorcidas e muita sujeira se estendia ao longo dos seus 402 quilômetros.

Dados da época revelam que cerca de 50 pessoas morriam por mês em acidentes. Muitas cargas também não chegavam intactas ao final da viagem e os custos com combustível e manutenção dos veículos eram exorbitantes.

Hoje, após investimentos de mais de R$ 7 bilhões advindos da concessão, a Via Dutra é uma nova rodovia. Os tempos de viagem diminuíram, a segurança e a fluidez de tráfego são infinitamente superiores.

Hoje, quem trafega pela Via Dutra não imagina toda a infra-estrutura que a Concessionária implantou nesses catorze anos. São 1.200 funcionários qualificados, equipamentos eletrônicos de última geração e viaturas dotadas dos mais modernos equipamentos em atendimento pré-hospitalar e operação rodoviária que atuam 24 horas por dia para proporcionar uma viagem tranqüila e segura.

O SOS Usuário da CCR NovaDutra é composto por 11 bases operacionais localizadas em pontos estratégicos da rodovia de maneira a atender rapidamente as ocorrências. Cada base atende, em média, a cerca de 35 quilômetros da rodovia. Atuam no socorro médico/resgate 77 médicos, 13 enfermeiros e 143 Agentes de Atendimento Pré-Hospitalar (APH), em regime de revezamento.

O atendimento mecânico do SOS Usuário conta com 23 Guinchos Leves, 10 Guinchos Pesados e 17 Viaturas de Inspeção de Tráfego, entre outras viaturas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário