30 de agosto de 2011

A FAZENDA 4 - ATIVIDADES - 06

Nesta ssegunda-feira (29), os participantes de A Fazenda participaram da atividade Batata Assando. O jogo, tinha como objetivo fazer com que os peões lavassem a roupa suja. A brincadeira consistia em colocar a batata do peão adversário na fogueira, e explicar por que a batata do companheiro estava assando.

A maioria dos confinados satirizou a brincadeira, procurando não brigar a aproveitar para fazer declarações de amizade aos companheiros. Mas, Gui Pádua levou a sério e alfinetou o ator Thiago Gagliasso, insinuando uma ameaça.

Confira as declarações dos peões:

Batata do
Thiago

Gui Pádua
: “Antes de qualquer coisa, eu sei que o jogo não é a toa. Sei que muitas brincadeiras aconteceram e, dessa vez, existe um porquê maior. Gostaria de lembrar que isso é um jogo e estamos concorrendo a um prêmio. Temos que julgar cada ato e, por isso vou assar a batata do Thiago. Cara, antes de mais nada é preciso ter respeito, porque a minha mãe e minha família estão vendo o programa. Não é legal xingar as pessoas e, por isso, estou assando a sua batata”.

Dinei
: “Eu vou assar porque ele bota bolinho no meu bolso e eu levo bronca”.

Marlon
: “Ele falou mal dos meus avestruzes e, por isso, eu também vou assar o batata do Thiago. Ele chamou meus bichos de pintinhos”.

Compadre Washington
: “Eu também quero, porque ele reclamou que eu durmo muito e todo mundo dorme igual. Você também falou do meu ronco e, por isso eu estou fazendo isso”.

Raquel Pacheco
: “Eu também quero assar a batata dele porque, logo na primeira festa, ele pediu para eu virar um copo de vodka e acabou com a minha festa. Desde então todos me chamam de bêbada”.

Monique Evans
: “Eu vou assar porque, lá na Roça, o Thithi não pegou lenha para a gente fazer café. Você está com calo na mão, mas é por outros motivos que eu sei”.

Valesca Popozuda
: “Thiago, sua batata está torrando porque você é um folgado e o negócio é esse”.

Batata de Dinei

Raquel Pacheco:
“Eu vou assar a batata do Dinei, porque depois das festas ele sempre fala de mim. Desta vez ele disse que eu não tomo banho e isso é mentira”.

Joana Machado
: “Eu vou assar a sua batata porque você é um mijão de baú. Eu passei a semana sem roupa nenhuma por sua causa”.

Thiago:
“Eu vou assar a batata do Dinei porque ele é o ‘finge’ da Fazenda. Ele finge que trabalha, finge que acerta a privada e finge que pega a Valesca. Se for para pegar, pega direito”.

Valesca:
“Ele é um cabeça de pônei. Ele me beija em todas as festas e no dia seguinte ele nega. Amor, caiu na rede é peixe”.

Compadre Washington:
“Eu vou fazer isso porque você não para de falar do seu filme. Você não para de falar que está no cinema e que todo mundo precisa assistir”.

Batata da Joana

Anna Markun
: “Vou assar a batata da Joana, porque ela me chamou de bruxa”.

Dinei: “Eu vou falar uma real para você. Quando a gente discutiu, eu parecia uma criança chorando e, por isso, vou assar a sua batata”.

Thiago: “Eu vou assar em homenagem a um participante que se foi. Ela é uma menina que magoou o meu amigo João Kleber e ficou dando falsas esperanças a um senhor de 55 anos”.

Compadre Washington: “Ontem eu fiz uma brincadeira e você não gostou. Você é uma das pessoas que eu mais gosto aqui dentro e não gostei dessa atitude. A gente não criticou ninguém ontem, só fez uma piada e você não entendeu”.

Valesca: “Eu não fico em cima do muro, mas não entro na briga de ninguém. Eu não vou tomar dores por ninguém, porque depois todo mundo fica numa boa e sou eu quem fica com cara de tacho. Essa é minha atitude e fico feliz por você me entender”.

Batata do Marlon

Monique Evans:
“Vou assar a batata do Marlon porque ele vem com esse jeitinho de conquistador barato, todo depilado. Ele vem cantando e conquistando e não deu beijo na boca de ninguém. Ele fica em cima do muro, nesse chove e não molha”.

Thiago: “Eu vou assar a batata do Marlon porque hoje eu estava na saga com a minha cabra e ele veio falar do animal dele. Ele cuida de uns periquitos e vem chamar de avestruz. Gostaria de falar também que ele é um otário porque me chama de otário toda noite antes de dormir”.

Compadre Washington: “Você é um traíra porque não cumpriu o que disse. Você prometeu que ia trocar de cama comigo para eu ver melhores ângulos, mas você não liberou”.

Anna Markun: “Ele faz muitas piadinhas de mau gosto e, por isso, eu vou assar a batata dele”.

Dinei: “Eu não gosto muito de sertanejo, mas gosto de você. Você está se impondo mais e eu gosto disso”.

Gui Pádua: “Eu vou assar sua batata porque você é um otário e me fez chorar. Eu tiro o chapéu para você e essa batata não é do mal não”.

Raquel: “Eu vou assar a sua batata porque você vive me dando susto. Eu morro de medo dos seus sustos, então pare”.

Batata do Gui Pádua

Valesca:
“Eu não aguento mais ouvir você falar que está há 43 dias cuidando da vaca. Sempre tem alguém ajudando e isso é o que importa”.

Thiago: “Sem guerra e sem mágoa. Eu não quero nem assar a sua batata porque ela está assada já fora dessa brincadeira. Você não merece nem estar aqui. Eu não falei mal de jogador nenhum. Eu sou torcedor, pago o meu ingresso e tenho o direito de ter rivalidade e fazer piadas com outros times”.

Joana: “Quando eu cheguei aqui eu te achei um excelente jogador. Mas eu acho que você não toma cuidado como que diz. Isso é um jogo e você não está errado em jogar, mas é preciso pensar no que diz, porque palavras jogadas não voltam”.

Compadre Washington: “Como eu disse, eu não tenho nada contra ninguém. Quando você fala, tem coisas que eu gosto e outras não. Quando viemos para o programa, todos sabiam que era preciso competir. Eu não tive como fazer isso antes, mas também vim competir. Então, fale pouco e faça o que você tem que fazer”.

Monique Evans: “É o seguinte: Existem machucados que são pequenos, mas alguns são profundos. Às vezes ele sara logo, mas outros não. Você sempre vai até os machucados mais profundos e eles não podem ser mexidos, porque quando alguém os ataca podem até matar. Com a língua, você pode ferir a pessoa com uma consequência ainda mais séria. Pensa mais antes de falar, porque algumas pessoas podem sofrer muito com as palavras de outras”.

Batata da Valesca

Joana Machado:
“Vou espetar a batata da Valesca. Ela é uma pessoa que eu já conheço e, em todos os lugares, ela é a mesma pessoa. Eu já cheguei a julgá-la por estar em cima do muro, mas agora entendi o ponto de vista dela. Ela é alguém do bem, doce e meiga. Estou fazendo isso por gostar muito de você”.

Dinei: “Vou colocar uma batata bem pequena porque sua moral está pequena comigo. Eu realmente não lembro o que fiz na primeira festa. A segunda festa eu te beijei mesmo, mas nem foi um beijão. Para tentar pegar o pérola negra aqui, porque você tem que comer muita batata antes”.

Gui Pádua: “Eu só queria te dizer que, durante as festas, sempre que toca funk e você não está o brilho não é o mesmo. Você dança como ninguém e tem um brilho único”.

Compadre Washington: “Muita gente critica a sua música e a produção não toca nem a minha música nem a sua. Eu quero pedir que todos respeitem a sua música, porque ela é demais”.

Thiago Gagliasso: “Você anda apaixonada pelo Dinei e fica falando mal dele. Você é minha madrinha aqui dentro e, por isso, está na hora de morar com o Dinei para vocês terem logo o Dinesca”.

Batata do Compadre Washington

Thiago: “Ele não pode ficar nem um dia em silêncio, porque faz muita falta mesmo aqui dentro”.

Dinei: “Ele é um cara que eu conheço faz muito tempo. Fizeram uma injustiça com ele, quando disseram que ele dormia muito. Ninguém ainda sabia que a irmã dele tinha morrido e que ele tem problema no coração. Eu acho que faltou respeito com esse cara, porque ele respeita todo mundo aqui e já tem uma idade mais avançada. Ele é chato, mas eu gosto dele muito”.

Gui Pádua: “Antes de tudo, obrigado pela sua sensatez. Como um bom soteropolitano, você é um cara que muito vê e pouco fala. Acho que o público está vendo, mais do que qualquer um aqui, o que está acontecendo. Adoro os seus 'tu du dum pá' e tudo o que você faz”.

Batata da Raquel Pacheco

Dinei:
“Você chegou toda tímida e continua assim. Eu acho que ninguém aqui dentro é advogado de ninguém e, por isso, não tem problema você ficar em cima do muro. Continua desse jeito, porque você é uma guerreira”.

Thiago: “Eu acho legal essa relação de sinceridade que nós temos. Nós dois nunca nos ofendemos e compreendemos que somos mais afastados. Espero que um dia sejamos amigos, porque certamente será de verdade”.

Marlon: “Eu gosto muito de você. Eu sempre brinco com você porque eu gosto muito de você”.

Gui Pádua: “Eu tinha certeza que você voltaria na primeira Roça e você prometeu um jantar quando a gente deixasse o programa. Estou assando a sua batata só para te lembrar desse jantar”.

Joana: “Eu nunca te julguei e sempre te achei um doce de menina. Eu também conversei com você por estar em cima do muro e não adianta pedir para você ser mais rápida nem nada. Eu te admiro demais pela sua história e sei que tem gente lá fora que está perdendo muito por não conviver mais com você como você merece”.

Batata da Monique:

Marlon: “Essa batata é por causa da admiração que eu sempre tive por você. Eu sou um cara que ama cantar e tocar violão. Eu não gosto da expressão ‘em cima do muro’ porque parece maior julgamento. Eu prefiro dar uma palavra amiga a julgar”.

Gui Pádua: “Obrigada pelas palavras que você disse. A maior arma que você e o Compadre possuem é a cabeça. Desculpa pelas palavras duras que eu já te disse, porque cada um reage de um jeito e, por ter sido um cara sozinho a vida toda, eu sempre tento tocar na ferida dos outros. Eu vou realmente refletir sobre o que você disse, porque é verdadeiro”.

Dinei: “Quando você foi me entrevistar eu te achei louca porque você estava correndo de salto. Depois você voltou ao programa e também foi chamada de maluca. Agora, aqui dentro, você está mostrando que é alguém do bem e merece todo o meu respeito”.

Thiago: “Estou assando a batata para retribuir a comida que você fez para mim na Roça. Quero muito retribuir a mãe que você está sendo para mim”.

Joana: “Eu sei que você é uma guerreira, batalhadora, cuidou dos seus dois filhos com a cara e a coragem. Eu sei que existem dificuldades ainda na sua vida, mas sempre deu a volta por cima. Ao deixar o programa, você pode ter certeza de que muita coisa boa te aguarda”.

Compadre Washington: “Ontem eu disse que ninguém deveria sair daqui como traíra. Ontem você não estava com o olho doendo, mas estava com o olho inchado e estava escondendo isso. Como eu disse isso pelas costas, eu gostaria de falar”.

Batata da Anna

Gui Pádua: “Eu não vou te agredir, porque todos sabem que estamos num momento difícil. Aqui dentro é como se você terminasse um relacionamento e precisasse conviver com a pessoa. O meu problema com você é de convivência, não sinto raiva”.

Compadre Washington: “Espero que não tenhamos confusão na Roça”.

Joana: “No começo eu não tinha muita afinidade com você e acabamos nos reaproximando. A sua alegria é a maior da casa e a pessoa mais prestativa. O que eu quero é que você não tente ser alguém que você não é. Não brigue a toa. Mostre a pessoa prestativa que você é”.

Marlon: “Estando certa ou errada eu sempre estarei do seu lado. Você mora no meu coração e sempre vai ter meu apoio”.

NO FINAL, ELES PUDERAM COMER AS BATATAS!!!

VEJA A ATIVIDADE COMPLETA NO PROGRAMA DE HOJE, QUE COMEÇA ÀS 23HS, NA RECORD!

Nenhum comentário:

Postar um comentário