3 de novembro de 2011

COPA 2014 - INGRESSOS - 01

O secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke, vem ao Brasil na segunda-feira (07) para acertar os detalhes do plano para vender ingressos para a Copa do Mundo no Brasil a preços populares, com o governo, além de negociar itens da Lei Geral da Copa.

Jerome Valcke

A Fifa tem planos para vender ingressos para a Copa do Mundo no Brasil a preços populares, mas apenas na primeira fase da competição. Os valores devem ficar entre US$ 20 (cerca de R$ 35) e US$ 30 (R$ 52).

A "bondade" da Fifa não deve se estender às demais exigências do governo. Meia-entrada para estudantes, uma das reivindicações da presidenta Dilma, não deve ser atendida. A entidade quer garantir que os seus parceiros comerciais tenham lucros com a Copa no Brasil.

A venda de ingressos para o Mundial deve começar apenas no meio de 2013, após a Copa das Confederações. A Fifa prevê negociar cerca de 3 milhões de bilhetes na competição.

A relação entre Fifa e governo brasileiro está bastante estremecida. A entidade se recusa a aceitar termos da Lei Geral da Copa e quer que o país cumpra regras comerciais para garantir ganhos aos patrocinadores.

A Lei Geral da Copa é o que mais incomoda a entidade. Além de tentar barrar a meia-entrada para estudantes e idosos, que são garantidas por leis estaduais, no primeiro caso, e pelo Estatuto do Idoso, no segundo, a Fifa que incluir no projeto a venda de bebidas alcoólicas nos estádios, que é proibida no Brasil.

A Fifa também comprou briga com órgãos de defesa do consumidor. O Idec (Instituto de Defesa do Consumidor) quer impedir a criação de áreas de exclusividade comercial nas proximidades dos estádios, que daria total controle econômico da região à entidade e aos seus parceiros.

A Lei Geral da Copa ainda está em tramitação no Congresso. Depois de aprovado, o texto segue para aprovação da presidente Dilma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário