17 de dezembro de 2011

AUXÍLIO À CRACOLÂNDIA


A prefeitura de São Paulo vai inaugurar em janeiro um complexo para acolher usuários de crack a cerca de um quilômetro da cracolândia, no final da rua Prates, no Bom Retiro. Com 12 mil m², área equivalente a três campos de futebol, o local será o primeiro a agrupar unidades de assistência social e de saúde em um só lugar.


O complexo terá centro de convivência com quadra poliesportiva oficial, biblioteca e outros jogos, albergue para 120 pessoas, uma AMA (Assistência Médica Ambulatorial) e Caps-AD (Centro de Apoio Psicossocial Álcool e Drogas). Entre reformas e construções, a Secretaria da Assistência Social diz ter investido no projeto R$ 5 milhões.

A AMA e o Caps terão 120 profissionais da saúde e 11 leitos para internação e observação. Funcionarão 24h.

Segundo a secretária de Assistência Social, Alda Marco Antônio, o centro de convivência tem capacidade para 1.200 pessoas.

Esse centro, segundo Alda, tem o objetivo de atrair os usuários, tentar identificá-los e convencê-los a tomar banho e a permitir acompanhamento psicossocial.

A segunda etapa é convencer os viciados a dormir no albergue e, depois disso, entrar em contato com a família e tentar uma reaproximação. Se a pessoa for de outra cidade, o governo do Estado vai ajudar a fazer o contato.

Agentes nas ruas vão tentar levar usuários ao local. "A decisão de entrar e sair é do usuário", diz Alda. Mas médicos do Caps têm a liberdade de decidir se o caso é de internação involuntária --quando a pessoa é uma ameaça à própria vida ou aos outros. Basta que emitam laudo e comuniquem o Ministério Público.

ATÉ QUE ENFIM UMA ATITUDE DIGNA DOS GOVERNANTES. 
ESPERAMOS QUE DÊ CERTO!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário