6 de janeiro de 2012

RALLY DAKAR - 05

 

Mesmo com trechos cronometrados bem mais curtos do que nos estágios anteriores, o quinto dia de disputa do Rally Dakar ofereceu aos competidores desafios em alto nível. A etapa entre as cidades de Chilecito e Fiambala teve percursos diferentes para carros e caminhões, e também um encurtamento do trecho cronometrado para as motos, em função das chuvas que caíram sobre a região na madrugada anterior. A quinta etapa da maior competição off road do planeta foi também a última disputada em solo argentino, e quem enfrentou o forte calor precisou também de cuidados redobrados na navegação devido à falta de referência nas dunas.


Confirmando a tendência dos dias anteriores de que a disputa entre as motos pela vitória ficaria restrita à dupla da RBR-KTM, Cyril Despres e Marc Coma terminaram a quinta especial à frente dos rivais, desta vez com o francês pouco mais de um segundo à frente de seu companheiro. Vencedor do dia anterior, Coma está agora a quase dez minutos de Despres, que já abriu praticamente 48 minutos para o terceiro colocado, o português Helder Rodrigues.

Os brasileiros tiveram novamente um bom desempenho, mostrando que vivem um bom momento na competição. Apesar dos 80km a menos de trechos cronometrados devido às chuvas que maltrataram a trilha, Felipe Zanol fechou o dia em 15º, com Zé Hélio Rodrigues em 19º. Com isso, Zé Hélio manteve sua 16ª posição na classificação geral, mas o mineiro subiu de 20º para 17º. Denísio do Nascimento foi o 55º na etapa, com Dimas Mattos em 59º.

Em mais um dia de domínio da Mini, que colocou cinco carros entre os cinco melhores, o polonês Krzysztof Holowczyc voltou a mostrar força e fechou a especial em primeiro. Ele ficou um minuto à frente de Robby Gordon, guiando o “intruso” Hummer. A equipe voltou a ter problemas com a máquina do atual campeão, Nasser Al-Attiyah, que desta vez sofreu com a quebra de um duto de refrigeração. Terceiro melhor do dia, Stephane Peterhansel segue na liderança, com o companheiro, Joan “Nani” Roma, querto melhor desta quinta-feira, em terceiro no geral.

O dia foi complicado para os brasileiros. A dupla Jean Azevedo/ Emerson Cavassin terminou a especial em 22º lugar, caindo uma posição no geral: eles agora figuram no 17º posto. Mas quem teve mais problemas foi o carro conduzido por Guilherme Spinelli. Ele e o navegador Youssef Haddad completaram a etapa apenas na 100ª posição, em 6h50m07s, caindo 25 posições na classificação geral, saindo de 13º para 38º.

Encabeçada pelos pilotos argentinos, a disputa nos quadriciclos continua sensacional. Depois da vitória de Tomas Maffei no trecho até Chilecito, os irmãos Patronelli voltaram a andar na frente. Na especial até Fiambala, Marcos foi o primeiro, com menos de dois minutos de vantagem para Alejandro e pouco mais de quatro para Maffei. Com o resultado desta quinta-feira, os dois primeiros estão separados por 35 segundos após quase 18 horas de prova, com Maffei ainda na liderança. Não há pilotos brasileiros inscritos nesta categoria.
A disputa está acirrada também entre os caminhões. Vencedor do dia anterior, Gérard De Rooy triunfou pela terceira vez em cinco etapas e consolidou sua liderança. Na especial desta quinta-feira, o holandês terminou com apenas 14 segundos de vantagem para o trio capitaneado pelo tcheco Ales Loprais, que continua em quarto na classificação geral. O italiano Mike Biasion, terceiro melhor do dia, diminuiu a diferença para o holandês Hans Stacey, que agora é de apenas quatro segundos.

A equipe brasileira, formada por André Azevedo, Mykel Justo e pelo tcheco Jaromir Martinec, fechou o dia apenas no 26º lugar em com isso perdeu uma posição no geral.

A sexta etapa do Rally Dakar, entre a cidade argentina de Fiambalá e a chilena de Copiapó, foi suspensa devido às más condições climáticas na região de fronteira entre os dois países, informou nesta quinta-feira a organização da competição.

Segundo um dos organizadores, o Paso de San Francisco, situado a mais de 4.700 metros de altitude, permanece fechado para o trânsito de veículos devido a uma tempestade de neve.
 
Todos os participantes da competição cruzarão a fronteira "em comboio" para garantir a segurança dos pilotos e de seus acompanhantes. A organização explicou que o itinerário previsto inicialmente foi modificado e que os veículos circularão por uma estrada em direção à localidade de Diego de Almagro, perto da cidade Copiapó, no norte do Chile. Antes de chegar a fronteira, a caravana percorrerá 394 quilômetros entre Fiambalá e Paso San Francisco.

Em 2009, a direção do rali suspendeu a mesma etapa, mas que na ocasião seria percorrida no sentido inverso, por causa do mau tempo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário